segunda-feira, 5 de julho de 2010

Convite de sorvete

Brincar com os sentidos
da cor e do verbo
do ver e do verso
É meu quem versa comigo.

Amigo não joga
Conversa  fora
Só fia a lado
o que há dentro
De tempo a tempo

Sorver a vida
só vir e ver
abrindo-se
Não trava a língua!

Fruir o sendo
Limar o senso
Cindir a senda
do si.

Doce viver a sorte
o ver de que dissolve
convite de sorvete!

Um comentário:

  1. só pasando de bobeira o poema grafitado é otimo

    ResponderExcluir

Alimente!

Minha lista de blogs