segunda-feira, 28 de março de 2011

Espera que gera

Essa rainha
O que ela tem que eu não tinha?
Tempo
Criou um templo
Do lado de dentro

Que seu reino seja eterno
Irmã no sangue
Para que meu também o seja
Mesmo que breve

Por enquanto espero
Feito grávida
Que come tempo
Na dobra entre
O lado de fora
E o de dentro

Dona da casa, dona do canto
povo de rua, castelo na lua
Eu não arredo
Do que é belo
Rainha do resto
Meu reino é orquestra
-de acaso, sem maestro

Pois que a espera é passiva?
Não, é ávida.
Vou aprender com a grávida
A espera que gera.
(ou desespera)

2 comentários:

  1. Se devora, castra as horas.
    Se provoca, gera
    Gerânios
    Gestações
    Gerações
    Anos.
    Senhoras.

    ResponderExcluir

Alimente!

Minha lista de blogs